#3 Uai, que filme bom: O doutrinador

“Um vigilante mascarado surge para atacar a impunidade que permite que políticos e donos de empreiteiras enriqueçam às custas da miséria e do trabalho da população brasileira. A história do homem por trás do disfarce de Doutrinador envolve uma jornada pessoal de vingança na qual um agente traumatizado decide fazer justiça com as próprias mãos.”

  Baseado na HQ brasileira de mesmo nome do autor : Luciano Cunha

  Dirigido por: Gustavo Bonafé

Fonte: Google imagens

Primeiro confesso que pouquíssimos filmes nacionais me agradaram até hoje, dar pra lista-los contando os dedos, assunto para outro artigo, mas esse me agradou e me sentir na obrigação de indica-lo para quem gosta de quadrinhos e mangá, pois esta obra reacende a esperança de um cinema nacional de qualidade internacional.

  O roteiro é simples, linear de fácil absorção, mesmo assim te prende com o dinamismo dos acontecimentos, uma situação se encaixa na outra e quando se dá conta você já está envolvido com a jornada pessoal de Miguel em busca de vingança contra uma classe dominante podre que dirige o destino do país através de jogos de poder político, corrupção das instituições, desvio de dinheiro do sistema único de saúde etc.

  Claro que se tratando de uma ficção, em muitos momentos vai depender de sua imersão naquela proposta para ignorar alguns feitos do Doutrinador que na vida real só uma organização paramilitar altamente treinada e com todos os recursos teria acesso a alvos tão protegidos.

  Chamo atenção para dois pontos que mais gostei no filme, mesmo dando só pinceladas rasas nas reflexões morais e éticas que envolvem este tema, o filme reforça que a corrupção não é algo exclusivo da elite e sim um tumor enraizado na nossa cultura porem quando exercido por alguém em uma posição ímpar na sociedade, em um cargo de poder no caso do tema central do filme, está mancha causa um estrago imensurável no coletivo. Segundo ponto as cenas retratadas com uma descarga de violência por parte do protagonista mascarado contra um ou mais corruptos representa visualmente algo que a maioria dos cidadãos de bem tem entalado na garganta, mas por não sermos bárbaros e pelas rédeas da lei e da cidadania dificilmente teríamos coragem, ou oportunidade de sujarmos nossas mãos, então guardamos em nosso intimo, mas quando se vê aquilo retratado em um tela causa uma sensação de justiça (ou vingança brutal contra a engrenagem podre que faz o “sistema” funcionar, citado em um dos diálogos do filme) que só havia visto antes em uma cena do filme tropa de elite 2, não é nobre e nem bonito mas satisfaz , mas na vida real não seria o caminho louvável para um sociedade mais justa que fique claro.

  Resumindo: O filme é excelente dentro daquilo que propõe a contar, envolvente, dinâmico, ótima fotografia, a interpretação do ator que faz o protagonista é digníssima, tem um final surpreendente e surreal, e que após assisti-lo saibamos separar ficção de realidade, a solução que o doutrinador alcança para corrigir o tumor em nosso país pode satisfazer na ficção, mas na vida real tem que ser outra por mais que no nosso intimo gostaríamos de estar ali mascarado socando aquele ou outro político corrupto.

Nota: 7/10

#2 UAI, QUE LEITURA BOA : OXENTE – MANGÁ

Um menino arretado, filho do finado Lampião, o cangaceiro mais temido do nordeste, decide partir em uma jornada após a morte do avô. Ele, por outro lado, não deseja seguir o mesmo caminho que o pai, pois o seu maior sonho é se tornar o maior herói do nordeste.”

Autor:  Rhenato Guimarães

Fonte: Google imagens

   Encontrei este mangá no aplicativo Agakê ano passado e foi amor a primeira leitura, primeira coisa que me chamou atenção foi o design do personagem na capa que me fez lembrar o protagonista de Shaman King (Mangá que curti muito e ainda tenho na minha estante.) ai lendo vi algo que não me lembro de ter visto em outros trabalhos nacionais, um Mangá com todas as características Shonen porém muito bem adaptado com a cultura Brasileira neste caso em especial o Nordeste, o autor consegue te fazer se sentir, a grosso modo , lendo um Naruto ou One Piece  da vida mas como se fosse escrito e dentro da cultura do Sertão, tão divertido quanto grandes obras nipônicas.

Fonte: Google imagens

  O desenho muito bem feito, as coreografia da lutas bem bolada e limpas, humor contextualizado com o ambiente proposto, desde o cenário a as falas e gírias dos personagens, o visual dos cangaceiros é demais, não falo mais pra não dar spoiller.

  Não me divertia tanto assim desde o Armagedon Senshin, um mangá que curti muito na época do Orkut que até fiz homenagem há ele no Legacy Hero, e hoje igualmente homenageio O Oxente em umas páginas do Legacy Hero 07 com a devida autorização do autor.

  Resumindo: então fica a dica, roteiro, desenho, diagramação, todos os detalhes deste mangá são comparáveis a grandes títulos, o autor é super detalhista e tem um estilo próprio muito bem definido e amadurecido, torço muito pelo seu sucesso e que mais e mais pessoas como eu se surpreendam com está leitura.

Fonte: @oxentemanga

Pagina oficial: https://www.facebook.com/oxentemanga/

Nota: 7/10

#1 CONSIDERAÇÕES DE UM FÃ: DRAGON BALL GT

  Primeiramente toda a saga e mitologia de Dragon Ball está presente e enraizada no meu ser, tanto quanto fã de anime e mangá como autor de quadrinhos e isto facilmente visto ao folhear as páginas do Legacy Hero, ou olhar minha estante onde repousa uma coleção completa da época da Conrad onde agora acrescento Dragon Ball super.

  Só agora (2019) com 32 anos pude assistir Dragon Ball GT todo e me sinto na obrigação de expor minhas considerações.

fonte: Pinterest

Hoje estou revendo o Dragon Ball clássico e sem duvidas posso afirmar com toda a propriedade  que Dragon Ball GT foi uma tentativa não sucedida de voltar àquele clima de aventura, humor descompromissado e o carisma que Son Goku tinha quando criança, mas não deu liga, pois o Goku já no começo foi fisicamente condicionado ao um corpo de criança, mas como fica sua mentalidade que neste ponto já é madura e com peso de toda sua experiência? Virou criança e voltou a ser ingênuo e bobo como no começo? Não cola. E sem falar que a aventura pela busca das esferas pelo universo não te prende, é boba e forçada e tornou cansativo os primeiros 39 episódios junto com a outra saga forçada com cara de filler que é a do super androide 17 o qual só se salva o seu visual.

  Personagens muito mal aproveitados, em especial a Pan, ela tem visual legal, uma personalidade complexa, mas foi injustiçada e muito mal aproveitada, ela tinha potencial de ser tão ou até mais legal quanto Son Gohan, pois ao contrario do pai ela gosta de lutar e por algum motivo machista da época reduziram a sua condição de saiyajin por ser mulher, não atinge nem o nível de super saiyajin 1, muitos momentos é sacaneada pelo roteiro nunca mostrado todo seu potencial de saiyajin.

  Outro personagem desperdiçado é o Trunks adolescente, não passa nem perto do personagem marcante que foi o Trunks do futuro e consegue perder até para o pequeno Trunks da saga Boo, outra vitima de roteiro, e nem vou aprofundar-nos outros como Goten e Gohan e Uub.

Agora as coisas que valeram a pena se você conseguir passar dos primeiros 30 episódios, Oozaru dourado e Super Saiyajin 4 , visualmente é o ponto alto do anime, é perfeito resume em imagem toda a ideologia e mitologia construída ao redor do que são os Saiyajins, apesar de que no anime ele parece que o Goku ficou foi mais  fraco (o kame hame há aumentado 10x parece que é por 10x negativo, não convence, em Dragon Ball z na luta contra Vegeta o kaioken do Goku passa mais pressão do que isto aqui.) e de encher os olhos, a paleta de cores, o olhar feroz e o Goku fica arrogante mostrando que a transformação mexe até com o psicológico bonzinho do personagem, Vegeta e Gogeta Super Saiyajin 4 ficaram mais perfeitos ainda! (só não dá pra engolir que a roupa do Goku se regenera depois que destransforma, e a do Vegeta também quando vai de Oozaru dourado pra SS4, mas isto acontece em vários momentos do anime ai passa aquele efeito de cartoon.).

fonte: Pinterest

  A saga dos Dragões Malignos, finalmente na última saga parece que acertam o tom da historia, a ideia das esferas do dragão serem contaminadas por energia negativa de tanto serem usadas é perfeita e o próprio velho senhor Kaioshin já plantava está  ideia de consequência  de que se usar as esferas do dragão mexia com o equilíbrio do planeta , lá na fase Boo ele advertiu nossos heróis , os dragões em si são bem bobinhos, mas dentro da logica e perfil dos vilões de DBGT até ali combina, e quando chega ao Dragão de 4 estrelas que não é tão maligno só quer medir forças com o Goku, ai vêm o irmão dele os 3 estrelas que é podre até a alma, é muito legal, os episódios desta saga dá vontade de ver tudo de uma vez, não foi arrastado como os da saga do Baby, por exemplo, a luta contra o Dragão de 1 estrela, sua personalidade é até o visual salva muito, e a parte do Gogeta SSJ4 é show.

  Resumindo: a conclusão da série dá um desfecho bonito para o Son Goku mesmo com aquela pegada nonsense, mas cai bem ali, para quem é fã das antigas e quer v eu diria pra vê só a luta final contra baby e pular pra saga dos dragões malignos já dão pra deleitar os olhos com os pontos fortes do anime, os quais poderia ter sido aproveitado no Dragon Ball Super, o Oozaru dourado, super saiyajin 4 (no lugar do god e blue) e a saga dos dragões malignos um pouco mais caprichadas mantendo os 4, 3 e 1 estrelas.

Nota: 05/10

LEGACY HERO: CAPAS COM FANARTS

Em comemoração aos 12 anos desta aventura ( 2007 a 2019) , trago uma coletânea de capas e fanarts dos leitores e fãs que prestigiam este projeto. A todos muito obrigado !!

  Site oficial: https://sorynamestudio.wordpress.com/

  Facebook: https://www.facebook.com/AkiraBrother/

  Camisas: https://soupop.com.br/SORYNAME

  E-mail: soryname@hotmail.com

Outros vídeos:

TUTORIAL CONVERTER SEU MANGÁ PARA EBOOK KINDLE: https://www.youtube.com/watch?v=SpOcJlhNjWY&t=17s

LEGACY HERO MANGÁ NA SUA ESTANTE!!: https://www.youtube.com/watch?v=H2Gr_MEWnTo&t=4s